Brasil conquista três medalhas de bronze na 27ª Olimpíada Internacional de Biologia

Foto: Divulgação

A
educação nacional acaba de ganhar mais um motivo para se orgulhar: a equipe
brasileira – formada pelos alunos Victor Tsuda e Matteo Ebram, de São
Paulo, e Bruno Valério, do Paraná; e liderada pelos professores Rubens Oda e
Daniel Berto (SP) – conquistaram três medalhas de bronze na 27ª Olimpíada
Internacional de Biologia, neste fim de semana, no Vietnã.

A
competição, cujo primeiro colocado geral foi Cingapura, contou estudantes de
ensino médio de 72 países, sendo mais de 250 competidores, que
enfrentaram com uma maratona de provas práticas (bioquímica, botânica, zoologia
e biologia molecular) e teóricas. O Brasil ainda se destaca por ganhar menção
honrosa concedida ao estudante Luís Eduardo Fernandes, do Ceará, e alcançar o
posto de melhor país ibero-americano da competição: Espanhóis e portugueses
ganharam duas e uma medalha de bronze, respectivamente; Argentina, México
e Costa Rica não obtiveram medalhas.

O
diretor do Descomplica ressalta observa que, apesar do feito, é preciso um
olhar mais ambicioso do governo para a educação: “Não houve investimento
governamental para nossa participação internacional. As próprias escolas dos
alunos pagaram nossa participação. Países como China, EUA, Coreia e
Cingapura sempre conseguem as medalhas de prata e ouro’, salienta Rubens Oda.

O time
brasileiro foi selecionado na Olimpíada Brasileira de Biologia (OBB) entre
cerca de 70.000 alunos em sua primeira etapa. O Brasil sediará, ainda, a 10ª
Olimpíada Ibero-americana de Biologia, em Brasília, na UNB, em setembro. Todos
os anos, estudantes do ensino médio podem se inscrever gratuitamente nas
eliminatórias nacionais das olimpíadas de biologia.

Deixe uma resposta