Gentileza faz 100 anos: Exposição está em cartaz no MetrôRio

Vinicius Datrino, Vagner Datrino e Fernando Oliveira | Foto: Divulgação
Maria Datrino (filha mais velha do Profeta), João Datrino, Vagner Datrino, Vinicius Datrino e Vera Datrino | Foto: Divulgação
Gentileza gera gentileza”. Foi assim com versos simples, mas de enorme profundidade e gestos humildes que evocam a grandeza interior, que o Profeta Gentileza espalhou sua arte e imortalizou seu legado pelo Rio de Janeiro e por todo o Brasil. As frases de José Datrino espalhadas em 56 murais pintados nos pilares do Viaduto do Caju em uma sequência de painéis com tipologia original e escrita própria foram tema de inúmeras expressões artísticas e seguem inspirando as novas gerações. Vestido com túnica e longa barba branca, o artista cruzou o território nacional repetindo palavras que acreditava transmitir o bem, a beleza, a generosidade e, claro, a gentileza. Tendo em vista sua memória artística e ideológica, em 2017 celebramos o centenário de nascimento daquele que é considerado o precursor da arte mural de rua com a exposição “Gentileza Faz 100 Anos”, uma realização da Equipe Trinity, com apoio do MetrôRio e do Instituto Invepar, que estreia em 28 de abril em diversas estações de metrô (segundo o cronograma).  
Vinicius Marins Datrino, bisneto do Profeta Gentileza
 
As celebrações são parte do projeto “Gentilezinha” – um personagem na figura de um menino impactado pela obra do Profeta Gentileza e que se torna uma espécie de mascote da cidadania -, realizado através da Lei Municipal de Incentivo à Cultura (ISS). A exposição celebra a memória do aniversariante, expondo seu legado particular através de objetos pessoais do acervo guardado há décadas pela família. Um rico material com itens nunca vistos antes e que trazem novamente ao contato do público o universo poético e lúdico do Profeta Gentileza e a sua dimensão política, estética e cultural, através de fotografias em painéis de PVC e totens interativos.
 
Para muita gente, a imagem de Gentileza – falecido em 1996 aos 79 anos -, está associada a de um fanático que passava a vida pintando paredes. Mas quem conviveu com ele garante que na mesma figura singular também conviviam o artista popular, o homem do interior inconformado com as injustiças sociais, o poeta, o pintor e o religioso. E parte do legado dessa vida profícua será contado através de teatrinhos socioeducativos encenados em comunidades ao redor das estações do MetrôRio.
 
Locais e datas da exposição “Gentileza Faz 100 Anos”: 
Data de abertura: 28 de abril de 2017
Local de abertura: Estação de metrô São Conrado (saída Rocinha próximo às esteiras)
No local até: 11 de maio
Estação de metrô Coelho Neto (parede de acesso)
Data: de 12 de maio até 25 de maio
Estação de metrô Central (parede saída Centro Administrativo MetrôRio)
Data: de 26 de maio até 8 de junho
Estação de matrô Jardim Oceânico (acesso Lagoa)
Data: de 9 de junho até 23 de junho  
 

Deixe uma resposta