Lucia Ramos: A arte de meditar!

Lucia Ramos | Foto: Divulgação

A carioca Lúcia Ramos é
médica com especializações em Pediatria e Psicanálise, mestrado em Saúde da
Família, professora de Saúde Pública da Universidade Estácio de Sá, plantonista
da Emergência Pediátrica do hospital estadual Getúlio Vargas, médica reguladora
da Central Municipal de vagas e há, aproximadamente, vinte anos inclui, entre
todas essas atividades, a prática diária da meditação.

Começou a meditar na Siddha Yoga,
a chamada “yoga da mente”, que visualiza a atenção e o relaxamento profundo
como um “músculo” e a meditação como “um fortalecimento deste músculo. A  Siddha Yoga tem como um de seus fundadores o
guru indiano Muktananda (1908-1982).

Interessou-se pelo tema, estudou
e praticou meditação  e, no início dos
anos 2000, passou um mês em um mosteiro no estado de Nova Iorque, um Ashram,
palavra sânscrita cujo significado é: local retirado em meio à natureza
utilizado para fins espirituais. 

Porém não é preciso toda essa
parafernália para meditar. Basta que a pessoa reserve de dez a quinze minutos
de seu dia em local de sua preferência, sente-se, feche os olhos, respire e desfrute
dos benefícios que a prática pode proporcionar – alguns até imediatos.

Cada um de nós pode ser um meditador,
e o que a Dra Lúcia pretende é divulgar a prática, desmistificá-la e
dissociá-la da noção de que ela está necessariamente ligada a alguma religião
ou corrente filosófica. O próprio Muktananda, a seu tempo,   perguntava aos céticos: “Para respirar a
pessoa precisa ter uma  religião?” Se a
resposta é “não” – e é – podemos todos dizer “sim” a prática laica de meditar.

São inúmeros os benefícios
trazidos pela meditação: controle da ansiedade, diminuição da pressão arterial,
da tensão pré-menstrual, melhora do sono, auxílio no controle de compulsões,
bem estar geral e coadjuvante no tratamento de dores crônicas.Os efeitos
fisiológicos observados estão relacionados 
a ampliação das ondas cerebrais alfa, relacionadas ao relaxamento, à
diminuição dos níveis de cortisol, aldosterona, adrenalina e de noradrenalina
relacionados ao estresse  e ao aumento da
endorfina e da serotonina associados ao bem estar.

O público-alvo de Lúcia é plural
e tanto pode ser assistido em sessões individuais – com média de dois encontros
de uma hora e meia cada – ou coletivas – em palestras corporativas de uma a
duas horas de duração. Nichos específicos como, por exemplo, alunos de
vestibular, são bem-vindos. Afinal, porque não meditar cinco minutos e esvaziar
a mente do que não interessa antes de uma prova estressante?

Nesses tempos ávidos e velozes em
que somos bombardeados por informações vindas de todos os lados, é fundamental
nos lembrarmos que há estímulos internos silenciosamente aguardando para serem
otimizados.

Deixe uma resposta