Maurício Machado: 27 anos de uma carreira bem sucedida nos palcos

MauricioMachado(Mauricio Del Nero) - baixa 2

O carioca Maurício
Machado
começou
sua bem-sucedida carreira de ator no fim dos anos 80, e 1996, funda sua própria
produtora, a Manhas & Manias de Eventos. Que é, hoje, uma das dez
mais atuantes e respeitadas do país, na área de produção de eventos e em
projetos culturais.

Não
fossem o talento, a tenacidade, a versatilidade da dupla – que se desdobra nas
múltiplas funções de produtores, atores, diretores, autores e curadores – a
Manhas & Manias de Eventos não ocuparia o patamar que hoje ocupa.

A
consolidação desta feliz trajetória acontecerá em julho com a abertura de um
novo espaço cultural voltado às todas as artes cênicas. Trata-se do Teatro
J. Safra
, de 633 lugares, situado à Barra Funda, um sonho transformado em
realidade por Maurício e seu sócio Eduardo Figueiredo (diretor). A programação
já esta fechada, Maurício, gestor e curador artístico, mostra que começará com
o pé direito tendo Nathalia Timberg na estreia de seu palco, seguida de Gal
Costa
, e outros igualmente importantes nomes.

Foi
nos anos 80 que o ator despontou no grupo teatral Boi Voador, capitaneado pelo
diretor Ulysses Cruz. Nestes 27 anos de carreira, Maurício Machado já
trabalhou com Jorge Fernando, Gabriel Villela, Gilberto Gawronski, Jacqueline
Laurence, Amora Mautner, Claudio Tovar, Marcio Aurélio, Marco Antonio Braz,

entre outros encenadores de renome. Profícuo e respeitado ator dos palcos,
participou de mais de 30 espetáculos teatrais como intérprete, e em quase todas
elas foi protagonista de importantes montagens.

Em
televisão participou das novelas “Alma Gêmea”, “Cama de Gato”, “Cordel
Encantado” (Tv Globo) e “Cidadão Brasileiro” (Record). Recentemente atuou e
produziu, ao lado da atriz Nìvea Stelmann, a remontagem da comédia “Batalha de
Arroz Num Ringue Para Dois”, escrita nos anos 80 pelo comediógrafo Mauro Rasi.

A Manhas
e Manias de Eventos foi criada em 1996.  De cara enfrentou o desafio
de colocar em cena uma superprodução musical: “O Corcunda de Notre-Dame”, com
mais de 20 elementos em cena, entre músicos e atores.

De
lá para cá foram dezenas de montagens produzidas por seu escritório, onde
Maurício atuou e participou ativamente do conteúdo artístico dos que somente
produziu.

Atualmente
estão em turnê os seguintes espetáculos com o selo de qualidade da bem-sucedida
produtora: “Superadas”, da cartunista argentina Maitena; que estreia em
Setembro no RJ.  “Mulheres Alteradas”, da mesma autora, há quatro
anos em cartaz e atualmente em turnê pelo Nordeste; e que será transposta para
o cinema numa parceria da Manhas e Manias com a 02 de Fernando Meirelles; “100
Dicas Para Arranjar Namorado”, que deu origem à serie de TV ‘De volta para
a pista’, com Daniele Valente, autora e atriz do espetáculo.

Como
disse Bertold Brecht, “há homens que lutam um dia e são bons/há outros que
lutam um ano e são melhores/há aqueles que lutam muitos anos e são
superiores/mas há os que lutam toda uma vida/esses são os imprescindíveis.”.

Além
de estar consumido pela inauguração de seu sonho maior e projeto de vida que é
seu próprio teatro, Maurício está à frente de nove projetos inéditos, que estão
todos eles em fase de pré-produção.

Em outubro produz um texto inédito de Maria Adelaide Amaral, que há 10 anos não
escreve para teatro, “Frida y Diego”, que seu sócio dirigirá. E no mesmo
mês, será o protagonista de “M, O Vampiro de Düsseldorf”, adaptação pela
primeira vez no mundo do célebre filme expressionista de Fritz Lang, onde
Maurício viverá o mesmo papel de Peter Lorre. A montagem tem ainda a presença
de Stênio Garcia em papel de destaque, comemorando 60 anos de carreira, com
direção de Ulysses Cruz. O projeto é uma idealização e um reencontro de Ulysses
e Maurício.

Em
paralelo, Maurício estará ensaiando um texto inédito de Walcyr Carrasco,
escrito novamente especialmente a ele (como em 2004, quando encenaram por dois
anos “O Mistério do Fantasma Apavorado”). Desta vez, encenam uma adaptação de “Aprendiz
de Feiticeiro” de Goethe.

Incansável
e com fôlego de atleta, logo após a estreia dos espetáculos pretende encenar
seu segundo monólogo, e já tem o projeto certo e patrocinado: “Kafka,
primeiro Movimento”, escrito por Fernando Bonassi (autor de “Força
Tarefa” e “O Caçador”) e com direção de seu sócio, também um reencontro,
agora nos palcos.

Em
Setembro roda o filme “Rafa e Eu”. E tem planos de voltar logo à TV.

Maurício
Machado prova, nestes quase 30 anos de carreira sólida e
ascendente, ser muito mais que um simples ator, é um artista completo em sua
formação artística e pelo amor, dedicação e vocação que dedica e contribui no
panorama das artes cênicas do país. 

Deixe uma resposta