Zezé Motta será homenageada como enredo no carnaval 2017

Zezé Motta | Foto: Divulgação

Atriz, cantora e militante pelos negros no Brasil. Uma
mulher que luta pela arte e que aos 71 anos de vida e 50 de carreira, será a
grande homenageada do desfile da Acadêmicos do Sossego no Carnaval 2017. A
escola que abrirá os desfiles da Série A no próximo ano, quis em sua volta à
Sapucaí exaltar uma personalidade forte e importante para a cultura do país.

– Queríamos um enredo de peso e tivemos a ideia de
homenagear um artista. A primeira pessoa que pensamos foi a Zezé, que é uma
mulher que tem história, seja no cinema, na TV, como cantora, dentro e fora dos
palcos. Uma grande trajetória que tem a ver com tudo o que precisávamos nesse
momento, conta Rafael Marques, vice-presidente da agremiação.

Ícone negro da cultura brasileira, a cantora e atriz que
ficou imortalizada internacionalmente como Xica da Silva, no filme de 1976 do
diretor Cacá Diegues, tem participado ativamente de cada detalhe do desfile,
tanto que o título do enredo, ‘Zezé – A Deusa de Ébano’, foi
escolhido pela própria artista.

– Me sinto em estado de graça, com o convite da Acadêmicos
do Sossego e pela homenagem que estão preparando. Não tenho palavras à altura
de poder ser cantada no palco sagrado do carnaval. É muita emoção…, declarou
Zezé.

Com o enredo, à escola de Niterói pretende se referir às
mulheres negras que chamam a atenção por sua beleza e exuberância, como Zezé e
terá o desenvolvimento do carnavalesco, Márcio Puluker, que vem se destacando
nos últimos anos por falar de personalidades da nossa cultura em seus desfiles
na Sapucaí: ‘Será um imenso prazer desenvolver mais um enredo da
importância e do peso que tem a vida desta grande artista. Já vou para meu
terceiro trabalho homenageando grandes personalidades da cultura nacional,
Nelson Sargento o ícone do samba, Cacá Diegues um dos maiores cineastas do
Brasil e por fim Zezé Motta nossa Deusa do Ébano’.

O Acadêmicos do Sossego fará o lançamento oficial do enredo
e entrega da sinopse no dia 1 de maio em sua Feijoada da Vitória, no Espaço
Cultural Largo da Batalha. Mais detalhes serão divulgados em breve.

Confira o texto de apresentação do enredo: Zezé Motta- A Deusa de Ébano

 Tocada por Dionísio, o deus grego das festas, do
teatro e dos ritos religiosos, a menina de Campos, lançou-se nos palcos da
vida. Fez as malas, acreditou no sonho e seguiu para o Rio de Janeiro. Nascia a
Zezé Motta, a Zezé das artes, a Zezé cidadã do mundo. Em 1967, Zezé Motta
começou a carreira no teatro, quando estreou a peça Roda-viva, de Chico
Buarque e não parou mais. Em 1969, atuou em “Fígaro, Fígaro”, “Arena
canta Zumbi” e “A vida escrachada de Joana Martini e Baby Stompanato” “Orfeu
negro” e “Godspell”

Para muito além dos palcos, Zezé foi brilhar na tela grande
da sétima arte. Participou dos filmes: “Vai trabalhar, vagabundo”, “Ouro
Sangrento”, “Anjos da Noite”, “Tieta do Agreste” e “Orfeu”, mas
foi “Xica da Silva”, em 1976 que a consagrou internacionalmente.

            Na
tela da televisão chegou ao auge de seu talento, carisma e popularidade. É a
uma das atrizes negras que mais atuou em telenovelas no Brasil. Cantou, dançou
e atuou enaltecendo a sua luta por igualdade independe da cor de sua pele. Da
tela para a vida real,“muito prazer, eu sou Zezé, mas pode você pode me chamar
como quiser”

A canção “Magrelinha” de Luis Melodia e outras
tantas do menestrel Chico Buarque passearam pela voz marcante de Zezé Motta.

“Quando eu penso nela em forma de canção. Imagino em som que
revele. Que revele o tom, o tom da cor da sua pele. Crioula”

Cantriz. É a Zezé, mulher, mãe, avó, cantora, dançarina,
atriz e que é acima de tudo feliz!  Entre tantas mulheres, Deus quis que
Zezé brilhasse. Colocou uma estrela em sua testa e fez dela um ser iluminado
que encanta a todos com a força de seu sorriso, com sua alegria, seu talento e
seu amor pela arte.

A Acadêmicos do Sossego entra no palco sagrado do carnaval.
Vem com as bênçãos dos deuses sagrados do teatro, da música, do cinema, da TV e
da negritude para prestar homenagem a esta grande estrela das artes, trazendo
os sinceros aplausos no seu manto azul e branco. Com a força do seu canto e da
sua comunidade vem dizendo: Bravo, Zezé Motta!  

Deixe uma resposta